Vitória de Rosberg foi a única “monotonia” do Grande Prêmio da Alemanha

gp da alemanha rosberg venceMais um bela corrida de Fórmula 1. Foi isso o que vimos (até mesmo quem não tem TV a cabo) no circuito de Hockenheim neste domingo. Fora o passeio de Rosberg, que venceu sem dificuldades, o resto foi um show, desde a batida entre Massa e Magnussen na primeira volta, até as várias ultrapassagens de Hamilton e companhia durante toda a prova.

A batida na primeira curva

Massa capota após batida com Magnussen

Massa capota após batida com Magnussen

Felipe Massa fez boa largada, no mínimo iria manter a terceira posição. Foi então que começou a maior discussão das redes sociais. De um lado pessoas dizendo que Magnussen poderia ter freado, do outro os defensores do dinamarquês afirmando que Massa deveria ter feito a curva com outra tangência, bem mais aberta. O que eu acho mesmo é que Magnussen não tinha como passar por ali e que Massa poderia, com certeza, ter feito a curva bem diferente do que fez. Mesmo que Bottas tenha sido um ponto cego entre eles, não caberia a Felipe fazer a curva daquela forma. Não culpo ninguém e ao mesmo tempo culpo os dois lados. Ruim para Magnussen, que perdeu várias posições, pior para Massa que saiu da corrida.

A volta do velho Hamilton

GP da Alemanha - Lewis HamiltonNa época em que Hamilton brigava por títulos, além de ser um piloto super veloz, arrojado, sem medo, era também quem fazia uma lambança atrás da outra, sempre afobado na hora das ultrapassagens. O que vimos hoje não foi diferente. Era apenas Hamilton sendo ele outra vez.

O inglês fez um começo de prova muito bom, ganhou várias posições e logo estava em décimo. Aí chegou atrás das equipes que tinham carros um pouco melhores (Red Bull, Ferrari e McLaren), mas ainda inferiores a Mercedes. Então começaram as lambanças. Depois de bater com Raikkonen e Ricciardo no momento das ultrapassagens, também se encontrou no meio do caminho com o compatriota Jenson Button (com direito a pedido de desculpas na volta seguinte). Com mais sorte que juízo, tudo o que ele conseguiu perder foi uma parte da asa dianteira, o que talvez tenha prejudicado na busca pelo segundo lugar. No fim das contas o terceiro lugar foi um belo lucro.

Raikkonen, pobre Raikkonen

Raikkonen sendo esmagado por Vettel e Alonso

Raikkonen sendo esmagado por Vettel e Alonso

Pobre mesmo sou eu, que estou aqui escrevendo por boa vontade enquanto Raikkonen ganha milhões na pista. Hoje, porém, até cheguei a ter dó dele. Quando as boas disputas por posições começaram, ele foi acertado por Hamilton e perdeu uma parte da asa dianteira. Depois, na briga entre ele, Alonso e Vettel, virou o recheio principal do bolo: foi prensado e recebeu porrada de todos os lados.

Na parte final da corrida o pneu dianteiro esquerdo já não rendia e ele mandou a mensagem aos boxes informando o problema, o engenheiro respondeu com: “você precisa aguentar pelo menos mais quatro voltas com esse pneu.”. Aí, amigo, Raikkonen respondeu no melhor estilo Kimi Raikkonen.

– “Pra você podem ser quatro voltas, mas eu estou entrando no box agora.” e entrou mesmo.

Fora isso ele só conseguiu um décimo primeiro lugar, bem longe do companheiro Fernando Alonso (que chegou em quinto). Essa foi a terceira corrida que Raikkonen terminou fora da zona de pontuação.

A Alemanha cansou de vencer?

german-gp-flag

Estive analisando isso hoje, na vitória de Rosberg. Nos tempos de Schumacher (anos 90 e começo dos anos 2000), sempre que a corrida era em Hockenheim as arquibancadas estavam incrívelmente lotadas de torcedores com um milhão de bandeiras da Alemanha (e da Ferrari). Quando Michael ganhava, ver a parte do estádio do autódromo era uma das cenas mais fantásticas da Fórmula 1. Hoje, na vitória de Nico (um alemão vencendo com uma equipe “alemã”) deu para ouvir somente uma daquelas cornetas, alguns cidadãos gritando e nada muito além disso. Não consegui acompanhar o momento do pódio, mas espero que tenha sido uma festa melhor do que foi no momento em que o piloto cruzou a linha de chegada. Será que acabou a graça de vencer para o povo alemão? Creio que não…

Lembrando que domingo que vem já tem corrida: Grande Prêmio da Hungria. Aproveitem bem, porque depois será quase um mês sem Fórmula 1.

Classificação final do GP da Alemanha (Hockenheim):

1 – Roserg – Mercedes – Vencedor
2 – Bottas – Williams – +20.7s
3 – Hamilton – Mercedes – +22.5s
4 – Vettel – Red Bull- +44s
5 – Alonso – Ferrari – +52.4s
6 – Ricciardo – Red Bull – +52.5s
7 – Hulkenberg – Force India – +64.1s
8 – Button – McLaren – +84.7s
9 – Magnussen – McLaren- + 1 volta
10 – Pérez – Force India – + 1 volta
11 – Raikkonen – Ferrari – + 1 volta
12 – Maldonado – Lotus – + 1 volta
13 – Vergne – Toro Rosso – + 1 volta
14 – Gutiérrez – Sauber – + 1 volta
15 – Bianchi – Marussia – + 1 volta
16 – Kobayashi – Caterham – + 2 voltas
17 – Chilton – Marussia – + 2 voltas
18 – Ericsson – Caterham – + 2 voltas

Não completaram

Sutil – Sauber
Kvyat – Toro Rosso
Grosjean – Lotus
Massa – Williams

Anúncios

Sobre Bruno Gerhard

Jornalista, 27 anos, amante da Fórmula 1 e das viagens. Escritor nas horas vagas.
Esse post foi publicado em Fórmula 1 2014 e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s