Para inglês ver (e comemorar): Hamilton triunfa em Silverstone

England Hamilton vence em Silverstone copyUma corrida cheia de disputas e com dois vencedores. É assim que podemos resumir o Grande Prêmio da Inglaterra de Fórmula 1. Por pontos, venceu Hamilton. Por moral, venceu Bottas (eu sei que Hamilton também está cheio de moral com a vitória, mas você, caro leitor, é inteligente e consegue compreender o que quero dizer, correto? Pois bem…)

A largada, a Ferrari desgovernada e um GP 200 para ser esquecido:

Rosberg largou bem, mas Hamilton largou melhor: foi de sexto para quarto.  Lá atrás, no fim do pelotão, a corrida número 200 de Felipe Massa começou mal e terminou rapidamente. Poderia ter sido pior. Depois de ter problemas na largada e cair para último, Felipe viu a Ferrari de Raikkonen sair da pista, voltar totalmente desgovernada, bater no muro e rumar de volta para o meio do traçado, sendo atingida por Kobayashi, da Caterham. Felipe, que vinha logo atrás, só teve tempo para frear e bateu na Ferrari. Por sorte a batida foi de traseira.

– “Tive problema na embreagem que não funcionou na largada, o carro não ia. Depois eu consegui ultrapassar dois carros e de repente vi o Kimi rodando e ele começou a voltar em cima de mim. Tentei desviar, mas acabei batendo com a parte traseira do meu carro que ficou todo destruído. Foi um fim de semana para esquecer, depois da batida no treino livre, a classificação que não foi das melhores e agora a corrida. Vamos para o próximo.”, relatou Massa.

England Acidente Kimi Raikkonen e Felipe MAssa

E, olha só, quando Raikkonen aceita a ajuda do ombro de um comissário/médico para conseguir andar até o carro, é sinal de que a batida foi realmente forte. Vendo novamente o replay, digo que sair com dores no tornozelo esquerdo após um acidente como esse já é uma vitória. Posso trocar a análise do primeiro parágrafo para: uma corrida, três vencedores. Hamilton (pontos), Bottas (moral) e Raikkonen (vida).

Relargando:

Por mais de meia hora tentaram desamassar o estrago deixado por Raikkonen no guard rail. Quando a relargada aconteceu surgiram os destaques da prova. Primeiro foi Hamilton que, rapidamente, superou as McLarens e se posicionou em segundo lugar. Depois veio Alonso, ultrapassando uma penca de gente. Melhor que ele somente Bottas, que saiu de 14º e foi parar em segundo.

Rosberg e a primeira quebra do ano:

Rosberg vinha bem, mas já se mostrava preocupado com Hamilton aparecendo cada vez nos retrovisores (mesmo nesses espelhinhos onde não se enxerga nada). Porém, quando foi ultrapassar uma Marussia, o câmbio da sua Mercedes travou na quarta marcha, subiu para a quinta, para a sexta e nunca mais desceu. Restou ao alemão abandonar a corrida. Nesse momento Hamilton assumiu a primeira posição e os torcedores presentes no autódromo quase foram as lágrimas.

Bottas, a moral em forma de homem:

England Bottas podio

Na Áustria todas as atenções estavam voltadas para Massa, mas Bottas foi lá, superou o brasileiro e subiu no pódio. Hoje Felipe bateu na primeira volta (sem culpa, é verdade) e aí a Williams viu Bottas ganhar uma posição, duas, três, quatro…onze. Valtteri mostrou que o carro branco está tão bom quanto todos pensam e que ele está com a “cabeça no lugar” para fazer corridas sem erros e andar cada vez mais rápido.

Gutiérrez, o troco:

England - Gutierrez Maldonado

Se no Bahrein Gutiérrez foi virado de cabeça para baixo por Maldonado, hoje foi a vez de Guti fazer o mesmo contra Mal-Mal. Na tentativa da ultrapassagem, os dois carros tocaram rodas e a Lotus do venezuelano saiu voando, balançou para todos os lados, mas, por sorte, caiu “do lado certo”, dando a oportunidade para Maldonado continuar na corrida até quebrar o motor de seu carro nas voltas finais. Quase, Gutiérrez…quase!

Uma briga de tirar o folego e encher os ouvidos dos engenheiros:

Foram várias voltas de pura emoção na disputa por posição entre Alonso e Vettel. Um duelo daqueles onde você prende a respiração ao ver dois carros tão próximos em alta velocidade. Bastava olhar para a tela pra entender o que são dois campeões mundiais de respeito na luta por uma posição…e olha que valia somente o quinto lugar. Quando se pensava que Vettel conseguiria a ultrapassagem, de algum forma Alonso se mantinha na frente. Foram muitas tentativas e reclamações via rádio para que Vettel conseguisse assumir o quinto lugar. Fantástico (e ainda vai dar pano pra manga).

Hamilton e Williams para o delírio dos ingleses:

Depois que Rosberg abandonou a corrida, Hamilton abriu tanta vantagem para Bottas que teve direito a uma parada não programada para trocar os pneus. Ainda terminou com mais de 30 segundos para Valtteri. Nas últimas voltas a torcida ficou em pé, as bandeiras começaram a ser agitadas, os gritos eram facilmente ouvidos na transmissão. Somente quem já esteve em um autódromo e viu o piloto da casa se dirigindo para uma vitória, sabe o que é esse sentimento. Para completar a euforia dos presentes, a Williams, equipe inglesa, terminou com o segundo lugar. Só faltou mesmo Button no pódio para completar a festa, mas o terceiro lugar ficou com Ricciardo (que, aliás, eu nem lembrava que estava na corrida).

O que temos agora?

Um campeonato totalmente aberto. Apenas quatro pontos separam Rosberg de Hamilton (165 contra 161) e a próxima corrida vai ser justamente na Alemanha, casa de Nico. País com milhões de fãs apaixonados pelo esporte e loucos para ver mais um alemão campeão. E aí, deuses da Fórmula 1, o que estará reservado para nós?

Confira como ficou a classificação final do GP da Inglaterra de Fórmula 1:

1 – Lewis Hamilton – Mercedes – VENCEDOR
2 – Valtteri Bottas – Williams – +30.1s
3 – Daniel Ricciardo – Red Bull – +46.4s
4 – Jenson Button – McLaren – +47.3s
5 – Sebastian Vettel – Red Bull – +53.8s
6 – Fernando Alonso – Ferrari – +59.9s
7 – Kevin Magnussen – McLaren – +62.5s
8 – Nico Hulkenberg – Force India – +88.6s
9 – Daniil Kvyat – Toro Rosso – +89.3s
10 – Jean-Eric Vergne – Toro Rosso – + 1 volta
11 – Sérgio Pérez – Force India – + 1 volta
12 – Romain Grosjean – Lotus – + 1 volta
13 – Adian Sutil – Sauber – + 1 volta
14 – Jules Bianchi – Marussia – + 1 volta
15 – Kamui Kobayashi – Caterham – + 2 voltas
16 – Max Chilton – Marussia – + 2 voltas
17 – Pastor Maldonado – Lotus – + 3 voltas

Não completaram
Nico Rosberg – Mercedes
Marcus Ericsson – Caterham
Esteban Gutiérrez – Sauber
Felipe Massa – Williams
Kimi Raikkonen – Ferrari

Anúncios

Sobre Bruno Gerhard

Jornalista, 27 anos, amante da Fórmula 1 e das viagens. Escritor nas horas vagas.
Esse post foi publicado em Fórmula 1 2014 e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s